quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

De repente...



De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto


De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez-se o drama


De repente, não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente



Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.

 
Vinicius de Moraes

Tenta esquecer-me...


Ser lembrado é como evocar
Um fantasma... Deixa-me ser o que sou
O que sempre fui, um rio que vai fluindo...
Em vão, em minhas margens cantarão as horas,
Me recamarei de estrelas como um manto real,
Me bordarei de nuvens e de asas,
Às vezes virão a mim as crianças banhar-se...
Um espelho não guarda as coisas refletidas!
E o meu destino é seguir... é seguir para o Mar,
As imagens perdendo no caminho...
Deixa-me fluir, passar, cantar...
Toda a tristeza dos rios
É não poder parar!

Mário Quintana

Gosto



Gosto quando te calas...
Porque ficas como ausente..
E me olhas de longe e minha voz
Não te alcança...
Parece que meus olhos a vêem
nublada...
E parece que um beijo,
faz com que tua boca fale tudo...
Como todas as coisas estão cheias
Da minha alma...
Emerges às coisas como que
Saindo cheia de minha própria alma...
Mariposa de sonhos,
Parecida com minha própria alma...
Te pareces com a palavra melancolia...
Gosto quando calas... e ficas como distante
Estás como que se queixando
Mariposa que está morrendo...
Me olhas de longe e minha
voz não te alcança...
Deixa que me cale com teu silêncio...
Deixa que eu também fale com teu silêncio,
Claro como uma lâmpada
Simples como um menino...
És como a noite clara e estrelada..
Teu silêncio fala com habilidade...
Tão largado e sensível...
Gosto quando calas porque é como
Se estivesses ausente
Distante e dolorida como se tivesses morrido...
Uma palavra , um sorriso e já fico feliz..
Feliz com aquilo que não é certo...

Pablo Neruda

Meu caminho



Meu caminho
Comecei sozinha
Procurando um ninho
Vaguei... Sonhei... Perdi-me...
Eu que desavisada
Pensei que conhecia a estrada
Eterna caminhada
De cada passagem... Miragem!
Não antevi a viagem
Enveredei
Por atalhos que nem sei
E pensei, em desistir... não resistir
Novamente insistir... Persistir
Ir e vir...
Mas prosseguir
Continuar...
Confiando...
Numa estrela me guiando
Em que nada destoasse
Nenhum tropeço
Que tirasse minha coragem
Minha vontade...
A procura da minha verdade
Galgos passos...
Novos compassos.
Dispersos... Desavessos... Alvoroço...
Um fim e um começo....Recomeço!
E não meço endereço
Somente o apreço
Sigo em frente
Semblante descoberto
Para minha eterna busca
Mar aberto...
Do que é certo... Acerto!
Não quero desacerto
Sorriso franco
Não arrefeço... Tudo enfrento
Desperto... Estou perto
Sigo... Prossigo
E nem com toda desventura
Louca aventura
Nada me impedirá
De continuar meu caminho


Quando estiver em dificuldade
E pensar em desistir,

Lembre-se dos obstáculos
Que já superou.

OLHE PARA TRÁS.

Se tropeçar e cair,
levante,
Não fique prostrado,
Esqueça o passado.

OLHE PARA FRENTE.

Ao sentir-se orgulhoso,
Por alguma realização pessoal,
Sonde suas motivações.

OLHE PARA DENTRO.

Antes que o egoísmo o domine,
Enquanto seu coração é sensível,
Socorra aos que o cercam.

OLHE PARA OS LADOS.

Na escalada rumo às altas posições
No afã de concretizar seus sonhos,
Observe se não está pisando EM ALGUEM

OLHE PARA BAIXO.

Em todos os momentos da vida,
Seja qual for sua atividade,
Busque a aprovação de Deus!

OLHE PARA CIMA.

"Nunca se afaste de seus sonhos,
pois se eles se forem,
você continuara vivendo,
mas terá deixado de existir".

Autor: Charles Chaplin

FELICIDADE



FELICIDADE




Felicidade não tem peso,
nem tem medida,
não pode ser comprada,
não se empresta, não se toma emprestada.
Só pode ser legítima.
Felicidade falsa não é felicidade, é ilusão.
Mas, se eu soubesse fazer contas na medida do bem,
diria que a felicidade pode ter tamanho,
pode ser grande, pequena,
cabendo nas conchas da mão,
ou ser do tamanhão do mundo.
Felicidade é sabedoria, esperança,
vontade de ir, vontade de ficar,
presente, passado, futuro.
Felicidade é confiança:
fé e crença,trabalho e ação.
Não se pode ter pressa de ser feliz,
porque a felicidade vem devagarinho,
como quem não quer nada.
Ser feliz não depende de dinheiro,
não depende de saúde,
nem de poder.
Felicidade não é fruto da ostentação,
nem do luxo.
Felicidade é desprendimento,
não é ambição.
Só é feliz quem sabe suportar, perder,
sofrer e perdoar.
Só é feliz quem sabe, sobretudo, amar!


(Wanderlino Arruda)



Flor do Campo



Flor do Campo


Sinto que existe
Um ser radiante
De um jeito elegante
Seduz-me alegremente
Envolvido na sutileza
De gestos tão evidentes
Sinto presente
O sentimento perfeito
Capaz de colorir
As sombras da noite
No breu da madrugada
Exala-se um aroma
Inebriante perfume
Tão doce e envolvente
Flor do campo
És tu, sentimento
Paira no ar
Envolve-me por completo
Testa meus sentidos
Atiça meu olfato
Com delicados atos
Demonstra claramente
Que sentes pulsando
Seu coração machucado
Agora curado
Pode sentir
Com toda plenitude
Que existe e é real
Um sentimento tão belo
Sereno e sincero
Que emana da alma
E sempre te acalma
Pois é paz ressurgida
E hoje vivida
Por nós alegremente
Amor evidente
Tão claro e transparente
Presente em minha mente
Espero sorridente
O eterno momento
De encontra-lo novamente...
Flor do campo



Logan Apaixonado

NÃO BASTA ESTAR NO LUGAR CERTO...

É PRECISO ESTAR COM A PESSOA CERTA.

NEM TUDO ME BASTA...

Praia do Espelho
Porto Seguro Bahia
24.12.2009

sábado, 12 de dezembro de 2009

Desisto


Jane Lagares


O cansaço me tomou,
Minhas forças se esvaíram...
Desisto!
Desisto de mostrar para você o meu amor...
Desisto de dizer,
de lhe buscar,
de ser ainda para você...
Desisto exercer o meu lado mulher,
Tão infinitamente sua...
De mostrar para você a rima da emoção,
Do amor pleno,
Da luta ...
Entreguei-me ...
Na consciência,
De não mais tê-lo...
Não posso buscar o nada,
a razão incontida,
no seu ser em você mesmo...
Tenho que retornar à vida,
mesmo sem você...
Tenho que ver novos tons,
pintar uma linda tela interior,
utilizando as cores com que a vida enfeita nossos olhos,
Tirar novas fotos de tudo,
Ver diferente...
Desisto de você,
Mas, não desisto de ser feliz...
Desisto do irrealizável,
Mas, não desisto do que ainda posso fazer.
Desisto de amar o vazio,
Mas não desisto de mim,
cheia de amor!!!!

Existe um lugar ?


Existe um lugar
Onde os sonhos fazem parte
E a realidade também.
Onde o céu é azul.
O imenso mar é cristalino
Cheio de algas, peixes corais...
Existe um lugar,
Uma ilha,
Onde mora o amor...
É aqui que eu te espero.
No azul do céu... no verde do mar...
Ao som dos pássaros... no calor do sol...
Na fresca brisa.
Existe um lugar.
O nosso lugar...
Dentro de nossos dois corações
Que pulsam feito um só.
Eu amo você!


Thaïs Helena

Mariah Carey "I Want To Know What Love Is" tradução



Eu Quero Saber o Que É o Amor
 Eu preciso dar um tempinho
 Um pouco de tempo para pensar novamente nas coisas
 É melhor eu ler nas entrelinhas
 Caso eu precise quando for mais fria


 Na minha vida
Só tem havido dor de coração e dor
 Eu não sei
 Se eu posso encarar isso de novo
 Não posso parar agora
Eu já fui longe demais
 Para mudar esta minha vida solitária


 Eu quero saber o que é o amor
 Eu quero que você me mostre
 Eu quero sentir o que é o amor
 Eu sei que você pode me mostrar


 Eu vou dar um tempinho
Um pouco de tempo para olhar á minha volta
 Não sobrou nenhum lugar para me esconder
 Parece que o amor finalmente me encontrou


 Na minha vida
 Só tem havido dor de coração e dor
 Eu não sei
 Se eu posso encarar isso de novo
 Não posso parar agora
Eu já fui longe demais
 Para mudar esta minha vida solitária


 Eu quero saber o que é o amor (Ooooh-oh)
Eu quero que você me mostre (Mostreee-ee)
 Eu quero sentir o que é o amor (Sinta o que é o amor)
 E eu sei que você pode me mostrar (Me mostre, eu quero saber)


 Eu quero saber o que é o amor (Eu quero saber)
Eu quero que você me mostre
 Eu quero sentir o que é o amor
 E eu sei que você pode me mostrar


 Oh, vamos falar de amor.



Uma vez conversando com um amigo
Disse coisas das quais sinto falta
Gostaria que fossem verdades
Que eu era feliz da vida, sem problemas
Que nada mais me faltava
Então os dias passaram, os tempos mudaram
O meu amigo se foi pra não voltar  mais
Fiquei sofrendo, pensando que aquelas palavras jamais
Deveriam ter sido ditas
Porque em algum lugar, aqui ou distante
Alguém leu tudo aquilo e de maneira brusca
Levou todo o meu coração deixando em pedaços outra parte de mim

Me senti uma menina sozinha, com os pés decalços,
 sentada no meio do jardim.
Eu que hoje sofro sim, que choro sim
Eu que já cansada de dizer vem...
Hoje acordei com olhos marejados pelo sonho que tive...
De que qualquer forma um dia destes a vida volta ao normal.

Minha mãe, meu tio, primos, avó e todos os parentes
Sentandos a mesa , como antigamente...
E um bate papo gostoso até o churrasco esfriar no prato.
Aquela vida antiga, já sem o amigo querido
Mas com uma esperança renovada
Com uma vida renovada
Hoje uma mulher diferente
Sem saber ele mudou minha vida
O que mais doi é que nunca o conheci
Maior é a falta de suas palavras
Mesmo e somente escritas
Me fez feliz por algum tempo.
Sinto sua falta...
*Ca



sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Deixe-me ficar

Nos fizemos da escuridao uma luz
Escalamos montanhas, lado a lado
Nosso amor nos uniu na dificuldade
E transformou num dia de primavera
O vento cortante de um inverno gelado
Nosso amor não parou de subir
Mas tudo o que sobe tao alto
Um dia tem que cair
E se isso um dia acabar
Não me cansarei de implorar
Deixe-me ficar pra sempre
Em algum lugar do seu coração
Deixe-me ser pra sempre
Parte de voce.

Adaptação da canção " let me be" de Steve Feldman 1974

Me ensina a te esquecer?!


Apreciando suas qualidades
aprendi a respeitar seus defeitos
enxergar na beleza de teus gestos
a humildade em seu olhar
o amor puro que habita em ti

No vazio que ficou em mim
meu coração ensandecido
te busca em todos os lugares...
Contigo aprendi o que é o amor
aprendi, a amar você...


Preciso esquecer de ti
desabitar a saudade
que faz morada em meu coração...
Preciso voltar a lembrar
um pouco mais de mim...
Me ensina a te esquecer?!


(Van Albuquerque – 19/06/08)

Reprimida...


Em meu corpo a paixão fez morada.
Arde em chamas nessa doce loucura.
Meu coração que já não cabe dentro do peito.
Percorrestes lentamente meu intimo
Consumistes devagar as minhas forças

Condenastes todos os meus sentidos.
Mesmo na sua ausência, sentia seu toque
Seu cheiro seus susurros em mim.
Impregnaste-me de sua presença invisível
Sussurrastes a voz em minhas madrugadas
Embalastes a canção dentro de meu íntimo
Nesse sentir desvendastes quem eu sou...
Seu silêncio calou todas as minhas vontades
Detendo-me onde ainda eu era voz em ti
Sem forças para enfrentar a correnteza
Ajuda-me a mudar as rotas desse destino
Deixar de sonhar e silenciar a saudade
Reprimir vontades e estancar os desejos
Ao contrário do que meu coração almeja
Por instinto lutar contra o que sinto!
Morrendo a cada retorno seu a minha mente.
Talvez a minha paz estivesse em suas mãos...
Pois sinto que fui sua,sem nunca ter te conhecido.
Ca*

domingo, 6 de dezembro de 2009

CARÊNCIA


CARÊNCIA

Estou carente

Carente de amor.


Sem você
Sem carinho

Triste

Sozinho

É grande esta dor.



É um vazio

Uma tortura.


Uma desventura
É viver sem razão.


Sem teus beijos

E abraços

Nesta solidão...



Elciomoraes


Pele à pele


PELE À PELE




PAIXÃO ABRASADORA
ENVOLVENTE E INEBRIANTE,
ENFRENTA O MUNDO E A CONSCIÊNCIA,
COM CORAGEM INERENTE.

SÃO MOMENTOS ROUBADOS
ESTE AMOR APAIXONANTE,
DE PELE À PELE, ARDENTE
QUEIMANDO E SACIANDO.

CORPOS PELO IMÃ , ATRAIDOS,
SE ENCAIXANDO E SE AMANDO
ESCANDALOZAMENTE...
SE COMPLETANDO.

AS LÁGRIMAS ROLAM...DE DOR,
QUANDO TUDO CHEGA AO FIM
FALTA O CHÃO, CAI A ILUSÃO
QUANDO SE QUEBRA, O ELO DA PAIXÃO.

PREENCHER O GRANDE VAZIO,
DEIXAR A LÁGRIMA ROLAR,
ESPERAR O TEMPO PASSAR
E A VIDA...RECOMEÇAR.

AMARILIS PAZINI AIRES

you in me


Não quero nada mais.


Nada mais que esse beijo desconhecido

Nada mais do que o sabor da tua boca.

O toque da tua mão e o cheiro da tua pele.
 
...you in me...

Quero-te assim...



Quero-te assim...



Quero-te...
Beijando minha boca
Descobrindo meus caminhos,
Deixando-me louca

Quero-te...
Sentindo meu perfume
Desvendando meus mistérios,
Arrepiando-me toda

Quero-te...
Roçando teu corpo no meu
Despertando meus instintos,
Levando ao céu

Quero-te...
Bem perto de mim
Manifestando minhas vontades,
Gritando de desejo.
Paty Padilha

Peito Aberto


Peito Aberto


Tudo cabe dentro de mim;
todas as guerras,
todos os gritos do mundo,

todas as raças e deuses,

os medos da morte,

das chuvas,

as inquietações da vida,
todos os séculos ...

Enfim, tudo,

tudo cabe

Menos o amor que sinto por ti,

este,

ignora as fronteiras do meu peito,

e invade todos os lugares

onde ainda não estou,

antecipando-se assim ao meu querer,

e perpetuando-se,

entre as auroras dos meus amanhãs



Marcelo Roque

Mais de mim...


Do que foi e do que não foi
há muito mais em mim do que em ti.

Das promessas feitas, das desfeitas,
das que ficaram por cumprir
há muito mais em mim do que em ti.


Do tempo ao contratempo
do que sonho, do que invento
do que vivo e convivo
do que penso e repenso
há muito mais em mim do que em ti.
E no entanto , a ti me entreguei
E me entregaria novamente,
Eterna e infinitamente.


E pouco importa que
depois partas ( ou me partas)


Porque eu sei:
Há muito mais em mim do que em ti.


Adaptado ( Caco Maciel )

Acabou


Eu busco no silêncio
algum sinal que me ajude
a compreender os teus motivos
de ansiedade...

Estou tentando encontrar
em teu olhar
uma luz que possa
trazer de volta
aquela sensação
feliz e juvenil
que me causava intenso êxtase!


E nada, nada se revela,
além dessa tristeza mórbida
que fere minha alma
e esse silêncio,
esse negro silêncio entre nós;


Uma parede invisível
que insiste em nos mostrar:
- Acabou!


Ciro Di Verbena

Versos Suplicantes

Existe muito de você
E tão pouco de mim
Nos versos que componho...

São fagulhas,
Fragmentos do meu
Louco desejo;
Pedaços da realidade,
Clamor de sentimentos,
No mundo dos meus sonhos...

E vão fluindo assim
Letra por letra,
Verso após verso
Como se meu amor
Fizesse parte do universo!

Quero-te, quero-te tanto...
E meu amor de poeta
Queda-se num canto
Em folhas amassadas...

Quero-te sim, mas meu querer, no entanto,
São versos de um clamor sofrido
E jamais serão correspondidos
Por você!...

Ciro Di Verbena

Obs : sinto sua falta...

Estou cansado de esperar...


A espera é um monstro medonho
Que transforma em pesadelo
A imagem de um belo sonho
E nos versos que componho
Faz-se em lágrimas no espelho!...


É um monstro alado e profano;
Harpia, mortal, venenosa;
É filha do desengano,
Faz a fé do tal fulano
Murchar qual fosse uma rosa!


Tanto pavor me provoca,
Saber que não queres voltar...
Essa angústia me sufoca
E hoje enfim, saio da toca:
- Estou cansado de esperar!...


Ciro Di Verbena

Amar em silêncio


Amar em silêncio


Pagar por esse crime em clausura

Escuridão que à minha poesia dá um rumo

Com toda divindade, também é tortura

Loucura assim, só pra mim eu assumo



Em energia sintonizar com o ser amado

Numa solidão que apavora

Sentir o coração ser arranhado

Por unhas impiedosas de um sentimento que me devora



Aceita com resignação, calado

Doa palavras mudas em estado de espera

O coração já meio desbotado

O que é externo nada esse pulsar intenso lhe altera



Pelos outros ora em sigilo o verdadeiro cristão

Ao mundo seus atos de “bondade” não revela

Assim é sua forma de devoção

Em silêncio pelos seus amados ele vela



Amo em silêncio!

Ao mundo isso tem sido ignorado

Talvez como forma de expiação.

Mas a quem é de direito, agora é revelado

Amo em oração!

Obs: ainda sonho com vc ...

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Velhas árvores



Velhas Árvores



Olha estas velhas árvores, mais belas


Do que as árvores novas, mais amigas:


Tanto mais belas quanto mais antigas,


Vencedoras da idade e das procelas...



O homem, a fera, e o inseto, à sombra delas


Vivem, livres de fomes e fadigas;


E em seus galhos abrigam-se as cantigas


E os amores das aves tagarelas.



Não choremos, amigo, a mocidade!


Envelheçamos rindo! envelheçamos


Como as árvores fortes envelhecem:



Na glória da alegria e da bondade,


Agasalhando os pássaros nos ramos,


Dando sombra e consolo aos que padecem!


Olavo Bilac

Sonho



Sonho

Quantas vezes, em sonho, as asas da saudade


Solto para onde estás, e fico de ti perto!


Como, depois do sonho, é triste a realidade!


Como tudo, sem ti, fica depois deserto!




Sonho... Minha alma voa. O ar gorjeia e soluça.


Noite... A amplidão se estende, iluminada e calma:


De cada estrela de ouro um anjo se debruça,


E abre o olhar espantado, ao ver passar minha alma.



Há por tudo a alegria e o rumor de um noivado.


Em torno a cada ninho anda bailando uma asa.


E, como sobre um leito um alvo cortinado,


Alva, a luz do luar cai sobre a tua casa.



Porém, subitamente, um relâmpago corta


Todo o espaço... O rumor de um salmo se levanta


E, sorrindo, serena, apareces à porta,


Como numa moldura a imagem de uma Santa...

Olavo Bilac

Um beijo


Um beijo

Foste o beijo melhor da minha vida,


ou talvez o pior...Glória e tormento,


contigo à luz subi do firmamento,


contigo fui pela infernal descida!




Morreste, e o meu desejo não te olvida:


queimas-me o sangue, enches-me o pensamento,


e do teu gosto amargo me alimento,


e rolo-te na boca malferida.





Beijo extremo, meu prêmio e meu castigo,


batismo e extrema-unção, naquele instante


por que, feliz, eu não morri contigo?






Sinto-me o ardor, e o crepitar te escuto,


beijo divino! e anseio delirante,


na perpétua saudade de um minuto....



Queria escrever um poema,


Que falasse de tudo.

Chamar-lhe mundo

E pintá-lo de palavras.



Comecei por uma quadra,

Mas faltaram logo as cores…

Procurei então o silêncio

E nele ouvia eco.

Sem a cor das palavras,

Nem a calma do silêncio

Escrevi um poema

Só cheio de alma.


"O nosso amor, minha amiga,
será assim como uma flor milagrosa que cresceu,
desabrochou, deu todo o seu aroma
– e, nunca cortada, nem sacudida dos ventos ou das chuvas,
nem de leve emurchecida,
fica na sua haste solitária,
encantando ainda com as suas cores
os nossos olhos quando para ela de longe se volvem,
e para sempre, através da idade,
e perfumando a nossa vida".
(Eça de Queiroz)

Amor

Amor


Quando os vocábulos não bastam,


que dizer? Não dizer nada?


Dizer tudo de uma vez?


Deixar simplesmente que um abalo


sísmico tome conta de nós?






O que sobraria de um nada se eu


nada te dissesse e, que transpiraria


na sombra de um todo, se tudo te contasse?


Se dirigiste a robustez do meu olhar


em partes contíguas


acidentalmente separadas,






existem prescrições para o Amor?